Contribuição da interpretação da radiografia simples de tórax na sala de emergência

Lygia de Souza Lima Lauand, Edson Braga de Souza Junior, Benedito Juarez Andrade, Sandra Regina Schwarzwälder Sprovieri

Resumo


Mesmo o grande avanço tecnológico obtido nas últimas décadas com outros métodos de imagem, como tomografia computadorizada, ressonância nuclear magnética e ultrasonografia, não foi capaz de diminuir a importância da radiografia simples de tórax no atendimento emergencial. Sua ampla disponibilidade, baixo custo e rapidez, podendo ser realizada “no leito” em paciente com instabilidade clínica, fazem da radiografia simples de tórax um dos primeiros exames complementares a serem solicitados na maioria dos casos atendidos no Serviço de Emergência. É enorme a quantidade de informação obtida com esse exame, principalmente quando avaliado por médico treinado, auxiliando, por vezes, de forma decisiva no diagnóstico e na determinação da conduta para o paciente crítico. Porém, o deslumbramento com os novos métodos de diagnóstico por imagem tem contribuído para a perda progressiva da habilidade do médico na interpretação de tão valioso instrumento. Apenas a interpretação sistematizada e o treinamento constante permitem a utilização plena do método. O objetivo deste artigo é revisar conceitos importantes para a avaliação da radiografia de tórax, partindo da anatomia, passando pela interpretação de padrões radiológicos e finalizando com a exposição de exemplos das principais afecções torácicas atendidas no Serviço de Emergência.

Descritores: Radiografia torácica, Tórax, Diagnóstico, Diagnóstico por imagem, Técnicas de diagnós


Texto completo:

pt.1 pt.2 pt.3 pt.4

Apontamentos

  • Não há apontamentos.