Carcinoma hepatocelular não invasivo e quimioembolização: relato de caso e revisão da literatura /Noninvasive hepatocellular carcinoma and chemoembolization: a case report and literature review

Daniela Akemi Tateno, Érika Hiromi Hayacibara, Gabriela de Haro Miguel Ippolito Giordano, Amanda Polaro, Luiz Arnaldo Szutan

Resumo


A hepatite B continua sendo um dos mais importantes problemas de saúde pública em todo o mundo. Entre os portadores, 50% não apresentam doença hepática, mas a outra metade mostra sinais de atividade inflamatória no fígado podendo desenvolver cirrose hepática e/ou hepatocarcinoma. Hepatocarcinoma é uma das principais causas de morte por câncer no mundo. A quimioembolização é utilizada principalmente em casos de tumores hepáticos maiores ou múltiplos, quando não há possibilidade de tratamento curativo, outros tratamentos paliativos estão indisponíveis ou não podem ser realizados pelo tamanho das lesões e a função hepática está preservada. O presente estudo traz o relato do caso de uma mulher de 48 anos, com antecedente de infecção pelo vírus da hepatite B e carcinoma hepatocelular não invasivo em segmento IV, assintomática e com boa reserva funcional, que foi submetida à quimioembolização em 2007 e em 2008. Considerando que o nódulo apresentava-se estável havia cinco anos, foi optado por realizar acompanhamento semestral com exames de imagem (TC e RM de abdome). Este estudo ressalta a importância dos aspectos relativos à indicação e à utilização da quimioembolização nos casos de carcinoma hepatocelular. A quimioembolização não é um tratamento curativo, porém é um procedimento auxiliador em até 55% dos pacientes assintomáticos com doença multinodular sem padrão de invasão, como no caso apresentado, levando à redução na velocidade de progressão do tumor e na invasão vascular, com evidências sugerindo uma melhora no tempo de sobrevida.

Descritores: Neoplasias hepáticas, Carcinoma hepatocelular, Quimioembolização terapêutica


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.