Cistoadenoma mucinoso gigante de ovário coexistindo com gestação / Giant mucinous cystoadenoma of the ovary coexisting with pregnancy

Alyne dos Santos Figueredo, Sheldon Rodrigo Botogoski, Antônio Lopes Moutinho Neto

Resumo


Os tumores ovarianos borderline, inicialmente descritos como tumores semimalignos ou como variantes hiperplásicas do cistoadenoma, representam 15% dos tumores epiteliais de ovário, incluindo as linhagens serosa, mucinosa, endometrióide, células claras e células transicionais. As linhagens serosa e mucinosa correspondem as mais frequentes, 63 e 37%, respectivamente. A presença de um tumor no ovário durante a gravidez é uma complicação rara. A literatura relata uma incidência de 1/8000 gestações com uma média de 1/600. Uma alta porcentagem dos tumores de ovário diagnosticados durante a gravidez, se encontra em estadios precoces, quando geralmente ainda está limitada ao ovário. Igualmente ocorre com o grau de diferenciação, sendo a maioria das neoplasias bem diferenciadas. Seu manejo deve ser individualizado, levando em conta a idade gestacional, o estadio, o tipo histológico, os desejos reprodutivos da paciente, a função ovariana e o bem-estar materno e fetal. O diagnóstico definitivo só se estabelece mediante estudo histológico do tumor. Este é o relato de caso de uma paciente gestante de primeiro trimestre, de 21 anos que evoluiu com massa abdominal palpável de crescimento rápido. O objetivo deste relato é expor um caso raro de cistoadenoma mucinoso de ovário concomitante com gravidez. Concluiu-se que apesar de ser rara a coexistência de tumor de ovário e gravidez, é possível realizar tratamento no primeiro trimestre da gestação, como neste relato que apresentou um desfecho favorável.

Descritores: Cistoadenoma mucinoso, Ovário, Neoplasias ovarianas, Complicações neoplásicas na gravidez


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.