Psicoterapia de grupo para pacientes diabéticos amputados e seus cuidadores / Group psychotherapy of diabetes patients with amputations and their caretakers

Márcia Gruber Franchini, Mariângela Gentil Savoia

Resumo


O objetivo deste artigo foi comparar as modalidades de grupos psicoterapêuticos utilizados no processo de reabilitação de pacientes amputados por diabetes tipo II. A principal variável analisada foi a inserção ou não dos cuidadores no trabalho psicoterapêutico. Participaram dessa pesquisa sete pacientes e seus cuidadores divididos em três grupos, no primeiro grupo estavam quatro pacientes e seus respectivos cuidadores, no segundo grupo três pacientes e no terceiro os cuidadores dos pacientes do segundo grupo. Foram realizadas dez sessões semanais com duração de 50 minutos. Esses encontros foram estruturados e a pesquisadora trouxe temas específicos para reflexão onde os participantes puderam expor as dificuldades relacionadas ao tratamento, à família e à sociedade, inclusive a repercussão emocional do processo pelo qual passavam. Os instrumentos utilizados foram entrevistas semidirigidas antes e depois dos encontros. Comparando as entrevistas e analisando as sessões grupais foram observados indícios de mudanças tanto nos pacientes quanto nos cuidadores, mas não entre os grupos. Nos pacientes observou-se uma maior aceitação com relação ao diabetes, a amputação e idéia da prótese, além de uma melhora no cotidiano, estado mental e no relacionamento com o cuidador. Os cuidadores também observaram mudanças no cotidiano, e melhoras no relacionamento com os pacientes. De qualquer forma, tendo em vista a repercussão nas mudanças práticas, a observação clínica mostrou a importância da inserção dos cuidadores, porque são eles que dão suporte e auxílio aos pacientes, o que pode repercutir na melhora do tratamento de reabilitação.

Descritores: Idoso, Cuidadores, Diabetes mellitus


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.