Prevalência e fatores de risco para asma em adolescentes de um município sulmineiro

Eugênio Fernandes de Magalhães, Mauro Sérgio Toporovski, Dirceu Solé, Bernardo Kiertsman

Resumo


Objetivos: Avaliar a prevalência e fatores de risco para
asma em adolescentes das áreas urbanas e rurais do município
de Pouso Alegre, MG. Métodos: Estudo populacional
de base escolar onde aplicamos um questionário padronizado
com questões relativas à asma, baseado em um estudo internacional
multicêntrico (International Study of Asthma
and Allergies in Childhood - ISAAC), acrescido de cinco
questões relacionadas a determinados fatores de risco em
1809 adolescentes de treze e catorze anos. Resultados:
Os adolescentes, na sua maioria, eram do gênero feminino
(55,3%), provenientes da zona urbana (86%). A prevalência
de “sibilos no último ano” foi de 20,5% e de “asma alguma
vez na vida” (asma diagnosticada por médico) era de
9,7%. As prevalências de “sibilos alguma vez na vida” (p
= 0,021), “sono prejudicado por chiado” (p = 0,030) e “fala
prejudicada por chiado” (p = 0,044) foram maiores no gênero
feminino. Observamos uma associação positiva entre asma e
historia familiar de atopia, presença de animais, tabagismo e
poeira domiciliar. A presença de mofo, bolor ou umidade no
quarto não se associou, significativamente, aos sintomas de
asma. Conclusões: A prevalência de asma foi elevada e se
mostrou subdiagnosticada, baseado no diagnóstico médico
de asma. Atopia familiar, presença de animais, tabagismo
e poeira representam os fatores de risco mais importantes
para a doença. A asma é um pouco mais prevalente na zona
urbana quando comparada à rural.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.