Sintomas depressivos e ansiosos entre pacientes internadas em Enfermaria de Ginecologia / Depressive and anxiety symptoms among patients admitted to a Gynecology Ward

Raisa de Araújo Loureiro, Nathalie Mie Suzuki, Ricardo Riyoiti Uchida, Maria Carolina Pedalino Pinheiro, Tsutomu Aoki, Quirino Cordeiro, Marsal Sanches

Resumo


Contexto: Pacientes internados em hospitais têm maior tendência a desenvolver quadros depressivos e ansiosos. Desses, as mulheres apresentam maior vulnerabilidade devido a fatores hormonais e psicossociais. Objetivo: Avaliar a presença de sintomas depressivos e ansiosos, bem como a qualidade de vida em pacientes internadas em enfermaria de ginecologia de um hospital escola. Métodos: Foram selecionadas aleatoriamente 20 pacientes internadas em enfermaria de ginecologia e Obstetrícia do Hospital Central da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, às quais foram aplicadas o inventário de depressão de Beck, a escala de ansiedade de Beck e a escala de qualidade de vida da organização mundial da saúde (WHOQOL). Os questionários foram aplicados por entrevistadores treinados no dia de alta hospitalar das pacientes e os resultados correlacionados com dados sociais, demográficos e clínicos das mesmas. Resultados: Quanto maior o tempo de internação das pacientes, maior os escores de depressão (r=0,45, p=0,05) e pior a qualidade de vida (r=-0,67, p<0,01) das mesmas. Entretanto, o fato das pacientes estarem cientes sobre sua situação clínica correlacionou-se negativamente com os sintomas depressivos (r=-0,54, p=0,01) e positivamente com a qualidade de vida (r=0,50, p=0,02). Conclusão: Apesar das limitações do estudo, a duração da internação parece ter impacto negativo na psicopatologia e na qualidade de vida das pacientes. Entretanto, estes mesmos conceitos parecem comportar-se de modo inverso em pacientes que tem consciência sobre suas doenças ginecológicas.

Descritores: Ansiedade, Depressão, Ginecologia, Qualidade de vida Abstract


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.