Resultados perinatais em gestantes acima de 35 anos

Maira Maiko Takagi, Silvia Regina Piza Ferreira Jorge, Lilian de Paiva Rodrigues, Lúcia Mitsuko Yamano, Sebastião Piato, Tsutomu Aoki

Resumo


Objetivo: Analisar a relação entre a idade materna e a ocorrência de resultados perinatais adversos. Casuística e Método: estudo retrospectivo realizado entre janeiro de 2008 e maio de 2009, no qual foram analisados o Registro de Parto e Prontuário de 2577 gestantes que tiveram seus partos na Maternidade da Irmandade da Santa Casa de São Paulo. Foram excluídas do estudo gestações gemelares e gestantes com menos de 18 anos. As pacientes foram divididas em dois grupos de acordo com a idade materna: 18 a 34 anos (grupo controle) e a partir de 35 anos (grupo estudo). As variáveis analisadas para mensurar os resultados perinatais foram: idade gestacional, tipo de parto e indicação, peso do recém-nascido e Índice de Apgar de primeiro e quinto minutos. Para a análise estatística utilizou-se o software SPSS 13.0, adotando-se nível de significância de 5%. Resultados: as medianas da idade materna, dos grupos estudo e controle, foram de 38 anos e 25 anos respectivamente. O parto cesariano foi mais frequente no grupo estudo (49,6%) em comparação com grupo controle (35,7%). Não houve diferença significante em relação à idade gestacional (mediana de 39,0 e 39,1 semanas), peso do recém-nascido (mediana de 3150 g e 3155 g), Índice de Apgar no primeiro (9 e 9) e quinto (10 e 10) minutos nos grupos estudo e controle respectivamente. Conclusões: A idade materna superior a 34 anos, não mostrou relação com resultados perinatais adversos. A incidência de partos cesarianos encontrada foi significantemente maior em gestações com idade materna a partir de 35 anos.

Descritores: Resultados da gravidez, Idade materna, Cesárea, Índice de Apgar


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.