Religiosidade entre pacientes esquizofrênicos: há implicações clínicas? Revisão de literatura

Pedro Shiozawa, Bruno Shiozawa, Elie Leal de Barros Calfat

Resumo


A espiritualidade e a religiosidade podem ser compreendidas como ferramentas utilizadas pelo paciente portador de doença crônica para lidar com as condições impostas por sua doença. No meio médico, diferentes publicações tem sido feitas predominantemente na última década acerca da correlação entre religiosidade, espiritualidade, qualidade de vida, prevenção e evolução de doenças. Os resultados apontam para um papel fundamental da religiosidade na melhoria da saúde mental e física do indivíduo. Considerando-se a recuperação do paciente portador de esquizofrenia, a espiritualidade desenvolve um papel-chave à medida que pode funcionar como fonte de busca por esperança e significado para as dificuldades impostas pela doença. A religiosidade tem sido relacionada à proteção contra comorbidades frequentemente presentes entre pacientes portadores de esquizofrenia tais quais o abuso de substâncias e o comportamento suicida, de modo que sua abordagem de maneira mais efetiva na prática clínica diária deve ser encorajada.

Descritores: Esquizofrenia, Religião, Espiritualidade


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.