Síndrome de Burnout em enfermeiros captadores de órgãos de doadores cadáveres para transplante: um estudo preliminar

Sandra Fernandes Amorim, Wilze Laura Bruscato, Luiz Antonio Nogueira-Martins

Resumo


Profissionais que realizam a procura e captação de órgãos para transplantes são expostos a situações potencialmente desgastantes em seu cotidiano de trabalho, o que os coloca em condição de risco para o desenvolvimento de doenças ocupacionais como a Síndrome de Burnout. Objetivos: Avaliar a presença da Síndrome de Burnout em enfermeiros que trabalham em equipes de captação de órgãos e tecidos para transplante, associando-a com variáveis sóciodemográficas-ocupacionais. Método: 15 enfermeiros pertencentes a três grupos especializados em captação de órgãos de cadáveres para transplantes, preencheram a ficha sóciodemográfica-ocupacional e o Inventário Maslach de Burnout (MBI). Resultados: Níveis elevados de Burnout foram detectados em 100% (N=15) dos enfermeiros, em especial os mais jovens, embora com pouco comprometimento da realização profissional. Houve tendência dos profissionais a identificar a falta de suporte organizacional como principal fator de insatisfação. Conclusões: A evidência de Burnout entre enfermeiros captadores de órgãos aponta para a necessidade de realização de estudos complementares que investiguem a influência de outros fatores que estejam interferindo na saúde ocupacional destes profissionais.

Descritores: Enfermagem, Obtenção de tecidos e órgãos, Transplante, Estafa profissional/psicologia, Cultura organizacional, Recursos humanos em enfermagem


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.