Valor prognóstico da hemoglobina, creatinina, proteína Creativa ultra-sensível (PCR-us) e do peptídio natriurético cerebral (BNP) na insuficiência cardíaca (IC) crônica

Lívia Firmino Gonçalves, Fernanda da Silva Santos, Roberto Alexandre Franken

Resumo


Introdução: O BNP é um excelente marcador de disfunção do ventrículo esquerdo e insuficiência cardíaca (IC) e, quando elevado, está associado à má evolução da doença e a altos índices de mortalidade. As alterações da função renal observadas na IC são avaliadas pelos níveis de creatinina. Estudos recentes têm demonstrado que níveis reduzidos de hemoglobina em pacientes com IC estão associados a uma pior condição hemodinâmica e nutricional, classe funcional avançada, além de apresentar-se como fator preditor de mortalidade independente. A IC parece também apresentar um componente inflamatório já que se tem observado elevações da PCR-us. Esses resultados ainda não foram completamente esclarecidos. Objetivo: Determinar o valor da PCR-us, do BNP, da creatinina e da hemoglobina como marcadores prognósticos dos quadros de ICC classes III e IV. Casuística e Método: Foram estudados pacientes internados no Hospital Central da Santa Casa de São Paulo com diagnóstico de IC, classes III ou IV, dos quais foram dosados os níveis de PCR-us, BNP, hemoglobina e creatinina e avaliada a evolução do quadro, desde a coleta das amostras até 30 dias após a internação. Resultados: 21 pacientes participaram do estudo, sendo 66,7% mulheres e idade média ao diagnóstico de 51,2 anos. A etiologia mais freqüente foi Doença de Chagas (28,6%). 76,2% receberam alta e cinco faleceram (23,8%) . Houve diferença significativa entre os níveis de BNP dos pacientes vivos e daqueles que faleceram. Dosagens >100pg/dL mostraram maior índice de mortalidade. Os níveis de PCR-us apresentaram-se significativamente diferentes entre os pacientes que obtiveram alta e aqueles que faleceram (p=0,0044). Isoladamente, nem a creatinina e hemoglobina mostraram-se bons marcadores prognósticos, porém níveis de creatinina >1mg/dL, associados a valores de BNP acima de 100pg/dL estiveram relacionados à maior mortalidade. Discussão: Os modelos fisiopatológicos de IC se baseiam, principalmente, nas alterações cardio-renais e circulatórias, neuro-humorais e imuno-inflamatórias. Utilizamos um representante de cada modelo para caracterizar o prognóstico da IC: creatinina para o cardio-renal, o BNP para o circulatório e neuro-humoral e PCR para imuno-inflamatório. Conclusão: O BNP, a creatinina e a PCR-us são bons marcadores prognósticos na ICC classes III e IV.

Descritores: Insuficiência cardíaca crônica, Doença crônica, Peptídeo natriurético encefálico, Proteína C-reativa, Marcadores biológicos, Prognóstico


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.