Deficiências pós-operatória de ferro e ferritina em obesos mórbidos submetidos à gastroplastia vertical e derivação gastro - jejunal em Y de Roux

Maria Fernanda Pereira Condes, Carlos Alberto Malheiros

Resumo


Nas gastroplastias redutoras com anastomose gastro-jejunal em Y de Roux a maior parte do estômago, o duodeno e um segmento inicial do jejuno são excluídos do trânsito alimentar. O ferro é absorvido, principalmente, no duodeno e em quantidades insignificantes no estômago e íleo. Portanto é previsível a deficiência desse íon em obesos mórbidos submetidos a essa operação. O objetivo deste trabalho foi comprová-la. Analisaram-se as dosagens séricas no pré-operatório e 12 meses após a cirurgia de 33 obesos mórbidos: 27 (81,7%) mulheres e seis (18,2%) homens. Precedeu-se à análise estatística, pelo teste t student, das médias dos valores dessas variáveis. Adotou-se o valor p<0,05 para rejeição da hipótese da nulidade. Verificamos aumento dos valores da ferritina no pós-operatório em dois homens e queda nos outros quatro. Entre as mulheres, duas apresentaram os mesmos valores no pré e pós-operatório, seis aumento e 18 diminuição. A comparação das médias dos homens e das mulheres separadamente e dos 33 doentes não mostrou diferença significativa. Quanto ao ferro houve diminuição dos valores no pós-operatório em um doente e nos demais aumento. Em cada mulher isoladamente notou-se diminuição dos valores. Na comparação em separado das médias dos dois subgrupos e da amostra em conjunto também não se encontrou diferença significativa. Concluiu-se que os resultados obtidos não permitem afirmação segura quanto à deficiência de ferro no pós-operatório nesses doentes.

Descritores: Obesidade mórbida/cirurgia, Gastroplastia, Anastomose em-Y de Roux, Avaliação nutricional, Deficiência de ferro, Período pós-operatório


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.