Neoplasias testiculares na Santa Casa de São Paulo

André Costa-Matos, Fernando Korkes, Álvaro Bosco, Ravendra Ryan Moniz, Marília Germanos de Castro, Roni de Carvalho Fernandes, Marjo Deninson Cardenuto Perez

Resumo


Os tumores de testículo representam a mais freqüente neoplasia sólida em homens jovens, e sofre influência de diversos fatores ambientais e genéticos. O presente estudo avalia uma série histórica de 111 pacientes submetidos à orquiectomia radical por neoplasia de testículo entre os anos de 1994 e 2004 no Serviço de Urologia da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Todos os espécimes foram analisados por um único uro-patologista e a classificação histológica seguiu as recomendações da Organização Mundial da Saúde. Os subtipos histológicos encontrados foram as neoplasias de células germinativas (92%), do cordão estromal (4%) e outras (4%). Dentre os tumores de células germinativas, os mais freqüentes foram os seminomas (27%) e os Tumores Mistos de Células Germinativas (TMCG) (28,8%). O perfil histológico dos tumores de testículo operados em nosso serviço foi semelhante à literatura. Entretanto observamos uma freqüência de linfomas em idades mais jovens do que relatado em outras séries, e outros estudos são necessários para investigar este fato.

 

Descritores: Testículo, Neoplasias testiculares/patologia, Germinoma, Neoplasias dos genitais masculinos, Neoplasias por tipo histológico, Estudos retrospectivos


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.