Cárie dentária relacionada às condições sócio-econômicas e qualidade de vida na infância

Maria Monica Mazzillo, Eliete Rodrigues de Almeida, Danilo Antonio Duarte, Gisele Rodrigues de Sant’Anna

Resumo


A relação entre cárie dentária, condições sócio-econômicas e qualidade de vida foi investigada em 770 crianças de 5 a 8 anos de idade, matriculadas em escolas públicas e privadas da cidade de São Paulo, Brasil. Os aspectos relativos à qualidade de vida e às condições sócio-econômicas foram avaliados a partir da utilização do questionário Oral Health Impact Profile (OHIP-14) e de formulário especialmente desenvolvido para este estudo, respectivamente. Para avaliar a cárie dentária, foram utilizados os índices ceo-s (dentes decíduos) e CPO-S (dentes permanentes), seguindo os critérios propostos pela Organização Mundial da Saúde. Os dados foram analisados com auxílio do programa MINITAB versão 14,1. As covariáveis sócio-econômicas mais explicativas para a chance de apresentar cárie dentária foram ‘possuir rádio’ (dentes permanentes: OR=0,25; IC95%=0,08-0,75) e ‘estudar em escola pública’ (dentes permanentes: OR=11,69; IC95%=5,33-25,65 e decíduos: OR=3,19; IC95%=2,34-4,36). O impacto da cárie dentária sobre a qualidade de vida das crianças examinadas foi observado, como ‘sentir-se tenso’, ‘interromper a refeição’, ‘dificuldade de relaxar’, ‘sentir-se envergonhado’ e ‘irritado com outras pessoas’ (p<0,05), considerando os dentes decíduos e permanentes. Os achados deste estudo ressaltam a necessidade de políticas públicas de saúde que possam ser desenvolvidas em ambiente escolar e direcionadas para a promoção da qualidade de vida relacionada à saúde bucal na infância, período crucial para romper o ciclo de pobreza e seus efeitos sobre a cárie dentária.

Descritores: Saúde bucal, Cárie dentária, Índice CPO, Qualidade de vida, Fatores socioeconômicos


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.