Tratamento da candidíase vaginal recorrente: revisão atualizada

Pedro Shiozawa, Daniela Cechi, Maria Augusta Pacheco Figueiredo, Lara Takyi Sekiguchi, Fábio Bagnoli, Sônia Maria Rolim Rosa Lima

Resumo


A candidíase é a segunda causa mais freqüente de vulvovaginite na menacme, sendo ainda mais prevalente durante a gravidez. Candidíase vulvovaginal recorrente é considerada o aparecimento de ao menos quatro episódios específicos no período de um ano ou ao menos três episódios não relacionados a antibioticoterapia no período de um ano. Estima-se que cerca de 50% das mulheres com mais de 25 anos apresentem um quadro de candidíase em algum momento de suas vidas. Destas, cerca de 5% apresentarão episódios recorrentes de candidíase vulvovaginal. Afim de se verificar as estratégias terapêuticas mais apresentadas na literatura, procedeuse com uma revisão de artigos científicos indexados no sistema Pubmed/Medline, publicados nos últimos 10 anos, que abordam a temática do tratamento da candidíase vaginal recorrente. As diversas opções de tratamento aqui expostas devem contemplar a realidade sócio-econômica da população e adaptar-se aos aspectos individuais de cada mulher, para que melhores resultados sejam obtidos.

Descritores: Candidiase vulvovaginal/terapia, Vulvovaginite/terapia, Vaginite, Recidiva


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.