Estudo da contaminação microbiana em aventais privativos e não privativos na UTI - Pediátrica do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo

André Vannuchi Badran, Denys Ken Iti Nagae, Leonardo Rafael Takahashi, Marcus Aurélius Araújo Nunes, Rafael Parizzi Velloso, Alessandra Navarini, Marinês Dalla Valle Martino, Lycia Mara Jenné Mimica

Resumo


O ambiente hospitalar reúne pacientes debilitados e altamente manipulados e tais condições propiciam a infecção nosocomial. O uso de aventais, como medida profilática, tem se mostrado uma medida duvidosa principalmente devido à sua não adequada padronização de utilização. Tal fato motivou a disposição de aventais privativos ao lado de cada leito da UTI Pediátrica do Hospital Central da Santa Casa de São Paulo (UTIp-SC). O presente estudo tem por objetivo uma análise comparativa da contaminação dos aventais privativos e dos utilizados pelos profissionais, através do procedimento de cultura dos mesmos. O resultado evidenciou maiores índices de contaminação nos aventais não privativos, bem como presença de agentes de maior virulência, como Candida spp e Pseudomonas aeruginosa. Conclui-se que o avental é comprovadamente responsável pelo transporte de microrganismos e que os menores índices de contaminação dos aventais privativos fundamenta a recomendação de utilizar o avental privativo sobre o avental de uso costumeiro em situações que as precauções de contato incluam esta indicação.

Descritores: Infecção hospitalar/prevenção & controle, Unidades de terapia intensiva pediátrica, Roupa de proteção/microbiologia


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.