Disfunção sexual feminina: a importância do conhecimento e do diagnóstico pelo ginecologista

Imacolada Marino Tozo, Sônia Maria Rolim Rosa Lima, Nelson Gonçalves, José Cássio de Moraes, Tsutomu Aoki

Resumo


A Organização Mundial de Saúde referenda a sexualidade como sendo uns dos indicadores de qualidade de vida. Sexualidade é uma experiência total sensorial envolvendo tanto aspectos mentais quanto corporais – não somente genitais. A Sexualidade é moldada pelos valores individuais, atitudes, comportamentos, aparência física, crenças, emoções, personalidade, empatia, aversão e crenças espirituais, assim como as diferentes influências exercidas pelo meio social. Ela é dinâmica e mutável, variando com o tempo e com o grupo social, sendo que muito do que fora proibido ou considerado anormal em épocas anteriores, hoje passou a ser permitido e absolutamente normal. A sexualidade não pode ser entendida dicotomizando-se os componentes biológicos, psicológicos e socioculturais. As mulheres esperam que seus ginecologistas tenham indispensável embasamento para oferecer informações e agenciar resoluções de suas queixas sexuais. A grande maioria dos ginecologistas, no entanto, não foi preparada adequadamente em sua formação acadêmica para atender queixas sexuais. Métodos: Análise de artigos relevantes onde foram estudadas a disfunção sexual feminina, sua prevalência e impacto na qualidade de vida da mulher analisando os aspectos psicológicos das disfunções sexuais, as expectativas da mulher frente a consulta ginecológica e a abordagem do ginecologista. Conclusão: As disfunções sexuais femininas têm alta prevalência entre os transtornos da sexualidade, acometendo cerca de 20% a 40% das mulheres com idade de 18 a 59 anos. Há poucos estudos relacionados a abordagem diagnóstica e ao tratamento inicial pelo ginecologista. Quando o manejo desta problemática na consulta ginecológica não é adequado acarreta uma série de reveses vivenciados pelas mulheres como raiva, desamparo, angústias, medos, diminuição da autoestima comprometendo o exercício da sua sexualidade e conseqüentemente o relacionamento do casal. Compreender e abordar este tema deve fazer parte da rotina de atendimento à saúde da mulher, contribuindo para uma melhor qualidade de vida.

Descritores: Disfunções sexuais psicogênicas/diagnóstico, Sexualidade/psicologia, Ginecologia.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.