Gestação gemelar com óbito de um dos fetos: relato de caso

Renata Buonacorso, Luiz Cláudio de Silva Bussamra, Silvia Regina Piza Ferreira Jorge, Lilian de Paiva Rodrigues, Fernando Moreira de Andrade, José Júlio Tedesco, Leonardo da Silva Valladão de Freitas, Tsutomu Aoki

Resumo


Há condições únicas em gestações gemelares que contribuem para o aumento da mortalidade e morbidade perinatais, incluindo gemelaridade monoamniotica, anomalias congênitas, síndrome da transfusão fetofetal e óbito intra-útero. O óbito de um dos fetos em gestação gemelar é um evento relativamente freqüente, correspondendo a 0,5 a 6,8% dos casos. Apesar do grande número de relatos de casos na literatura, controvérsias em relação ao seguimento, conduta e sobrevivência do outro feto ainda permanecem. Neste estudo nós apresentamos um caso de óbito de um dos fetos em gestação gemelar dupla monocoriônica. Exame ultra-sonográfico às 25 semanas evidenciou gestação
gemelar monocoriônica e diamniótica com primeiro feto morto, macerado e com oligoâmnio; o outro feto tinha morfologia compatível com a idade gestacional, assim como biometria fetal, volume de líquido e ultra-sonografia com Doppler normais. Ultra-sonografia obstétrica seriada semanal foi realizada com o propósito de determinar o momento oportuno para resolução da gravidez. Cesárea com 37 semanas de gestação foi realizada sem intercorrências e neonato do sexo feminino com 2295g e Apgar 8/10. A mãe e o recém-nascido receberam alta hospitalar após três dias. A avaliação ultrasonográfica seriada semanal para avaliar o crescimento e a vitalidade fetais é um procedimento de extrema importância para determinação do momento ideal para antecipar o parto. A assistência ao feto sobrevivente e aos pais deve ser realizada por equipe multidisciplinar experiente.

Descritores: Gravidez múltipla, Morte fetal, Placentação, Seguimentos


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.