Disponibilidade de materiais para o tratamento das fraturas diafisárias do fêmur / Availability of materials for femoral shaft fractures fixation in Brazil

Caio Zamboni, Daniel Rocha e Silva Modesto, Bruno Signoreti Oliveira Silva, Jorge Rafael Durigan, José Soares Hungria Neto, Ralph Walter Christian

Resumo


Objetivo: Verificar como os traumatologistas brasileiros tratam os pacientes com fratura diafisária do fêmur, relacionando o método de tratamento à disponibilidade de material do serviço. Métodos: Realizou-se um estudo transversal, onde 241 traumatologistas responderam um questionário no XXIIº Congresso Brasileiro Trauma Ortopédico em Maceió/2016, que consistia de perguntas objetivas, englobando diversos aspectos do tratamento. Resultados: Na urgência, a tração esquelética é realizada por 32% dos entrevistados, o tratamento definitivo por 23%, uso de fixador externo por 22%, tração cutânea por 17% e tala gessada por 5%. A haste intramedular (HIM) está disponível para o tratamento na urgência para 60% dos traumatologistas brasileiros. Tratam com placa de compressão dinâmica 12%, sendo que destes, 76% o fazem por não haver outro implante disponível. Conclusão: Entre os entrevistados, 22% tratam as fraturas isoladas diafisárias do fêmur com HIM na urgência, ao passo que 65% usam essa técnica como "urgência programada".

Descritores: Traumatologia/métodos, Cirurgiões ortopédicos/educação, Dispositivos de fixação ortopédica, Fixação intramedular de fraturas; Fraturas do fêmur/cirurgia, Procedimentos ortopédicos/métodos


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26432/1809-3019.2018.63.3.186

Apontamentos

  • Não há apontamentos.