Synadenium grantii e o câncer de mama / Synadenium grantii and Breast cancer

Maria Marta Martins, Adrienne Pratti Lucarelli, Julia Salles Oliveira, Wagner Ricardo Montor

Resumo


O tratamento do câncer de mama envolve cirurgia, quimioterapia, radioterapia e hormonoterapia, visando o controle local e sistêmico da doença. Muitos são os estudos que analisam a toxicidade e os índices de respostas a essas condutas, e, nesse contexto, é notável a necessidade de mais pesquisas que estudem medicamentos com menor toxicidade e efeitos colaterais. Até o momento, não há plantas medicinais indicadas para o tratamento contra o câncer de mama e a busca por novas substâncias com atividade antitumoral é de extrema importância, uma vez que diversos tipos de tumores adquirem resistência às drogas existentes.

A Synadenium grantii é um arbusto latescente que pode atingir até 3 metros de altura, nativo do Oeste da África. Na medicina popular brasileira, essa planta, da família Euphorbiaceae, também chamada de leiterinha, cola-nota, ou janaúba, é muito usada pela população para o tratamento de doenças gástricas, alergias, úlceras, hemorragias, redução de verrugas e câncer.

Existem estudos preliminares que mostram algumas propriedades farmacológicas antitumorais, anti-inflamatórias, atividade hemostática, ação fibrinolítica e imunorreguladora da Synadenium grantii. Porém, avaliando a literatura, é evidente que muito mais precisa ser pesquisado para construir evidência sólida de um potencial uso terapêutico desta planta.

As bases de dados utilizadas foram SciELO, Lilacs, Medline-PubMed, e Bireme, com seleção para o período de 2000 a 2017.

Nessa revisão comentamos os principais artigos que relacionam a ação da planta na terapêutica contra o câncer e concluímos que, devido aos indícios promissores da sua efetividade, trabalhos experimentais em linhagens mamárias e em animais devem ser incentivados a fim de comprovar a implicação da planta no tratamento do câncer de mama.

Descritores: Antioxidantes, Anti-Inflamatórios, Neoplasias mamárias/terapia, Euphorbiaceae, Flavonoides, Fitoterapia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.