Perfil epidemiológico da sífilis gestacional e congênita no Brasil – período de 2007 a 2016 / Epidemiological profile of gestational and congenital syphilis in Brazil – from 2007 to 2016

Beatriz Raia Bottura, Laís Matuda, Priscila Simão Serrano Rodrigues, Cássia Maria Carvalho Abrantes do Amaral, Lene Garcia Barbosa

Resumo


Objetivo: Descrever a ocorrência dos casos notificados de sífilis congênita e materna nas regiões do Brasil, considerando o perfil epidemiológico das mães. Métodos: Estudo transversal constituído pelos casos notificados de sífilis gestacional e congênita no Brasil, no período de 2007 a 2016. Os dados foram coletados no SINAN (Sistema de Informação de Agravos de Notificação). Resultados: Houve um aumento dos casos de sífilis gestacional e congênita, no período analisado. O perfil das gestantes com sífilis foi semelhante em todas as regiões do país, com idade 20 a 29 anos e ensino fundamental incompleto. O diagnóstico de sífilis gestacional foi predominantemente realizado durante o pré-natal e o de sífilis congênita no período neonatal. O pré-natal foi realizado em 80% dos casos. O tratamento inadequado da sífilis materna obteve valores extremamente baixos, devido ao não tratamento dos parceiros. Conclusão: Ao longo dos anos houve aumento do número de casos de sífilis gestacional e congênita evidenciando a necessidade de ações efetivas para tratamento correto e prevenção.

Descritores: Sífilis congênita, Sífilis, Perfil de saúde, Prevalência, Doenças sexualmente transmissíveis, Estudos epidemiológicos

ABSTRACT

Objective: To describe the occurrence of reported cases of congenital and maternal syphilis in Brazilian regions, considering the epidemiological profile of the mothers. Methods: A cross-sectional study of reported cases of gestational and congenital syphilis in Brazil, from 2007 to 2016. Data were collected at SINAN (Notification of Injury Information System). Results: There was an increase in gestational and congenital syphilis in the analyzed period. The profile of pregnant women with syphilis was similar in all regions of the country, aged 20 to 29 years and incomplete elementary school. The diagnosis of gestational syphilis was predominantly performed during prenatal and congenital syphilis in the neonatal period. Prenatal care was performed in 80% of the cases. The inadequate treatment of maternal syphilis obtained extremely low values due to the non-treatment of the partners. Conclusion: Over the years there was an increase in the number of cases of congenital and gestational syphilis evidencing the need for effective actions for correct treatment and prevention.

Keywords: Syphilis, congenital; Syphilis, Health profile, Prevalence, Sexually transmitted diseases, Epidemiological studies


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.