Qualidade de vida de agentes penitenciários /Quality of life of penitentiary agents

Kamila Motta Stradiotti, Jane Maria Motta Stradiotti, José Carlos Rosa Pires Souza, Matheus Gonçalves Chaves Mello, Vítor Cruz Rosa Pires Souza, Giovanna Maria Rigo

Resumo


Objetivo: Avaliar a qualidade de vida (QV) dos Servidores Penitenciários do Estado de MS em relação às condições de trabalho e a saúde geral. Método: Trata-se de uma pesquisa descritiva, quantitativa de corte transversal. Foram avaliados 120 servidores da AGEPEN, sendo 10 para o estudo piloto. Para a coleta de dados foram aplicados o questionário sócio-demográfico, questionário de SG de Goldberg e o questionário de QV geral WHOQOL-abreviado. Para a análise descritiva estatística foram utilizados o Teste de diferenças de médias, o Teste de análise de variância (ANOVA), o Teste de correlação Linear de Pearson e o Teste Qui Quadrado. Resultados: Os resultados do instrumento WHOQOL-abreviado demonstraram que quanto maior grau de instrução menor a qualidade de vida no domínio psicológico; os casados, oficiais, maior renda e os que dormem mais apresentam melhor QV; os que utilizam remédios para dormir ou já tiveram afastamento do serviço apresentam menor QV. No QSG-60 os resultados foram de encontro aos encontrados no instrumento WHOQOL-abreviado. Conclusão: Os participantes possuem uma percepção significativa da capacidade laboral. A presente pesquisa poderá contribuir como suporte na elaboração do plano de ações visando à promoção da saúde e à prevenção de doenças e, consequentemente, melhor QV e SM dos servidores.

Descritores: Saúde mental, Saúde do trabalhador, Qualidade de Vida, Prisões                     

 

Abstract

 

Objective: Evaluate the quality of life among penitentiary servers in Mato Grosso do Sul – AGEPEN, related with work conditions and general health state. Method. This is a descriptive, quantitative cross-sectional study. 120 AGEPEN servers were evaluated, of which 10 were pilots. To collect the data three instruments were used: a socio-demographic questionnaire, Goldberg General Health questionnaire and WHOQOL- short questionnaire.  3 tests were applied for statistical analyzes: Average absolute deviation, Pearson’s correlation and Chi-square distribution. Results. The results of the WHOQOL-abbreviated instrument demonstrated the higher the level of education the lower the quality of life in the psychological area; married, official, higher income and who sleep more have better QoL; sleeping pills users or who have had their services removed have a lower QOL. In the QSG-60 the results were against those found in WHOQOL-abbreviated.  Conclusion. The participants have significant perception of their quality of life and general health state relationship with working capacity. This survey will contribute supporting the creation of a plan to implement a policy of actions in favor of the servants aiming to improve their health, prevent diseases and consequently improve their quality of life.

Key words: Mental health, Occupational health, Quality of life, Prisons

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26432/1809-3019.2019.64.3.226

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



 
ISSN 0101-6067 - Versao Impressa

ISSN 1809-3019 (online)