Hábitos e distúrbios do sono nos estudantes de medicina da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul / Habits and sleep disorders in medical students at Mato Grosso do Sul State University

Mateus da Silveira Cespedes, José Carlos Rosa Pires de Souza

Resumo


Introdução: O prejuízo na qualidade do sono interfere na eficácia acadêmica e na ordem emocional, sendo diretamente proporcional à produtividade. Os estudantes de medicina são expostos a altas cargas horárias curriculares e lhes é demandada produtividade elevada, a qual pode não ser factível dependendo de sua qualidade de sono. Objetivo: Detectar os hábitos e a prevalência de distúrbios do sono nos discentes de medicina da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul. Materiais e Métodos: O presente estudo se deu de modo quantitativo, observacional e transversal, com análise situacional de 128 acadêmicos de medicina voluntários através de questionários aplicados (sociodemográfico, PSQI e Escala de Sonolência de Epworth). Os dados foram tabulados via Excel 2010 e analisados através dos testes T-Student e Anova. Resultados: Dos 128 acadêmicos, 93 aceitaram participar da pesquisa e preencheram adequadamente os questionários. A distribuição entre os 4 primeiros anos do curso foi equivalente. Destes, 74,19% relataram realizar alguma atividade extracurricular. A maioria obteve pontuação no Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh como ruim e a autoavaliação acerca da qualidade subjetiva do sono foi decrescente e significativamente estatística com o decorrer do curso. 48,38% dos alunos apresentou sonolência diurna excessiva. Conclusão: Foi observado que grande parte dos acadêmicos de medicina possuem qualidade ruim de sono, estando diretamente relacionada à progressão do curso.

Palavras chave: Sono, Transtornos do sono-vigília, Estudantes de medicina

 

Abstract

Introduction: The impairment in sleep quality interferes with academic effectiveness and emotional order, being directly proportional to productivity. Medical students are exposed to high curricular workloads and are required to have high productivity, which may not be feasible depending on their quality of sleep. Objective: To detect the habits and prevalence of sleep disorders in medical students at the State University of Mato Grosso do Sul. Materials and Methods: The present study was carried out in a quantitative, observational and transversal way, with situational analysis of 128 medical students volunteers through applied questionnaires (sociodemographic, PSQI and Epworth Sleepiness Scale). The data were tabulated via Excel 2010 and analyzed using the T-Student and Anova tests. Results: Among the 128 students, 93 accepted to participate in the research and completed the questionnaires properly. The distribution between the first 4 years of the course was equivalent. Of these, 74.19% reported performing some extracurricular activity. The majority scored in the Pittsburgh Sleep Quality Index as poor and the self-assessment of subjective sleep quality was decreasing and significantly statistical over the course of the course. 48.38% of the students presented excessive daytime sleepiness. Conclusion: It was observed that most medical students have poor sleep quality, being directly related to the progression of the course.

Key words: Sleep, Sleep-wake disorders, Medical students


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



ISSN 1809-3019 (online)

ISSN 0101-6067 (Impresso)