Aspectos clínicos e epidemiológicos dos tumores de pele: proposta de ações preventivas e educativas de enfermagem / Clinical and epidemiological aspects of skin tumors: proposal for preventive and educational nursing actions

Andreza de Fatima Ribeiro Bianco, Livia Keismanas de Ávila

Resumo


Introdução: O câncer não melanoma abrange os tumores basocelular e espinocelular que possuem como principal fator de risco a exposição solar. O câncer do tipo melanoma é o mais raro e o mais violento, e está relacionado a histórico pessoal e/ou familiar de alterações celulares em pele. Considerando a presença de fatores de risco associados ao aparecimento dos diferentes tipos de câncer de pele, e o potencial de atuação dos enfermeiros na promoção da saúde e prevenção desta patologia na população, pergunta-se os enfermeiros estão atentos sobre a problemática da incidência e prevalência do câncer de pele na população brasileira? Objetivos: Caracterizar os aspectos clínicos e epidemiológicos dos tumores de pele em pacientes atendidos entre abril e junho de 2016 em um hospital do município de São Paulo e propor ações de promoção e prevenção em populações suscetíveis a tumores de pele. Método: Estudo analítico, transversal, retrospectivo, quantitativo, realizado no Instituto do Câncer Doutor Arnaldo Vieira de Carvalho, a partir da análise dos prontuários com diagnóstico de tumor de pele em abril de 2016 a junho de 2016. Resultados: Foram analisados 31 prontuários. O câncer de pele não melanoma apresentou maior incidência em homens (64,5%), brancos (42,0%). 9,7% dos pacientes completaram o ensino médio e 6,5% eram analfabetos. A maior incidência ocorreu entre 60 e 69 anos (38,7%). 77,4% dos pacientes tiveram o câncer de pele em cabeça, pescoço e lesões espinocelular (54,8%). Referente ao comprometimento físico relacionado a patologia/tratamento o enxerto esteve presente em 15,35% da amostra, a semelhança do fechamento do orifício nasal em 15,35%. Considerando a atuação da enfermagem na prevenção e promoção a saúde, o desenvolvimento de estratégias como grupos de apoio aos pacientes que sofreram câncer de pele; inclusão de equipamentos e/ou materiais que diminuem a exposição solar e folhetos com imagens de lesões de pele e indicação dos serviços de referência representariam alternativas para contribuir na redução da incidência e prevalência desta patologia na população. Conclusão: Ao observar os aspectos clínicos, como o local e o tipo da lesão, o tratamento, e relacionar com os aspectos epidemiológicos, como o tipo de trabalho, o sexo e a idade, os dados evidenciam a importância do desenvolvimento de estratégias de prevenção e promoção da saúde, para ampliar as oportunidades de acesso às informações e promover uma melhor condição de vida.

Palavras chave: Educação em Saúde, Neoplasias cutâneas, Neoplasias de anexos e de apêndices cutâneos, Epidemiologia

Abstract

Introduction: Non-melanoma cancer includes basal and squamous cell tumors that have sun exposure as the main risk factor. Cancer of the melanoma type is the rarest and most violent, and is related to a personal and/or family history of cellular changes in the skin. Considering the presence of risk factors associated with the appearance the different types of skin cancer, and the potential of nurses to act in promoting health and preventing this pathology in the population, nurses are aware of the problem of incidence and prevalence of skin cancer in the Brazilian population? Objectives: To characterize the clinical and epidemiological aspects of skin tumors in patients seen between April and June 2016 in a hospital in the city of São Paulo and to propose actions for promotion and prevention in populations susceptible to skin tumors. Method: Analytical, cross-sectional, retrospective, quantitative study, carried out at the Cancer Institute Doctor Arnaldo Vieira de Carvalho, based on the analysis of medical records with a diagnosis of skin tumor in April 2016 to June 2016. Results: Were analyzed 31 medical records. Non-melanoma skin cancer had a higher incidence in white (42,0%) men (64.5%). 9.7% of patients completed high school and 6.5% were illiterate. The highest incidence occurred between 60 and 69 years (38.7%). 77.4% of patients had skin cancer on the head, neck and squamous cell lesions (54.8%). Regarding physical impairment related to pathology / treatment the graft was present in 15,35% of the sample, similar to the closing of the nasal orifice in 15.35%. Considering the role of nursing in the prevention and promotion of health, the development of strategies as support groups for patients who have suffered skin cancer; inclusion of equipment and / or materials that reduce sun exposure and leaflets with images of skin lesions and indication of reference services would represent alternatives to contribute to reducing the incidence and prevalence of this pathology in the population. Conclusion: When observing the clinical aspects, such as the location and type of the lesion, the treatment, and relating it to the epidemiological aspects, such as the type of work, sex and age, the data show the importance of developing prevention strategies and health promotion, to expand opportunities for access to information and promote better living conditions.

Keywords: Health education, Skin neoplasms, Adnexal and skin appendage neoplasms, Epidemiology

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26432/1809-3019.2020.65.005

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 0101-6067 (versão impressa

ISSN 1809-3019 (online)

 

 

Licença Creative Commons
O Periódico "Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo", está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.