Wake-Up Stroke: relato de caso, importância e perspectivas futuras / Wake-Up Stroke: case report, importance and future perspectives

Natalia Trombini Mendes, Rônney Pinto Lopes, Vivian Dias Baptista Gagliardi, Rubens José Gagliardi

Resumo


Introdução: Um quarto dos pacientes com acidente vascular cerebral (AVC) despertam com os déficits neurológicos, uma condição denominada wake-up stroke (WUS). A ressonância magnética (RM) vem sendo cada vez mais utilizada na fase aguda desses casos para estimar de forma confiável que o evento cerebrovascular ocorreu em menos de 4.5 horas, tornando esses pacientes candidatos à trombólise endovenosa. O objetivo deste estudo é relatar o primeiro caso de WUS trombolisado na Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e difundir essa importante modalidade de tratamento. Relato do Caso: Paciente do sexo feminino, de 73 anos, admitida com relato de ter despertado com novo déficit neurológico focal, após ter ido dormir assintomática. Ao exame neurológico, apresentava acometimento de múltiplos nervos cranianos, disartria e ataxia à esquerda. RM de crânio evidenciou lesão em região pontina com aumento do sinal na sequência de imagem ponderada em difusão (DWI) e ausência de imagem correspondente na sequência de recuperação de inversão atenuada por fluido (FLAIR), caracterizando o mismatch DWI-FLAIR. A paciente foi submetida à trombólise endovenosa, com melhora completa dos déficits até o final da internação. Conclusão: O caso descrito é comum na prática clínica, porém o uso do trombolítico guiado pela RM ainda é pouco empregado. O conhecimento de que técnicas de neuroimagem podem ser utilizadas como indicativo de janela terapêutica para trombólise é de fundamental importância, uma vez que pode beneficiar uma parcela significativa de casos selecionados, melhorando consideravelmente o desfecho funcional. Palavras chave: Acidente vascular cerebral, Trombólise terapêutica, Alteplase

ABSTRACT

Introduction: One in every four patients with ischemic stroke awakens with the neurologic deficits, a condition named wake-up stroke (WUS). Magnetic resonance imaging (MRI) has been increasingly used in the acute phase of these cases to reliably estimate that the event occurred in less than 4.5 hours, identifying those that could benefit from reperfusion treatment. The aim of this study is to report the first case of WUS treated with alteplase in the Santa Casa of Sao Paulo Hospital and to disseminate this important treatment modality. Case Report: A 73-year-old woman admitted with a complaint of waking-up with a new focal neurologic symptom after going to sleep asymptomatic. On neurologic exam, she presented multiple cranial nerves disfunctions, dysarthria and left ataxia. MRI showed a left pontine lesion with increased signal in diffusion weighted imaging (DWI) sequence and the absence of a corresponding image in fluid-attenuated inversion recovery (FLAIR) sequence, characterizing the DWI-FLAIR mismatch. The patient underwent intravenous thrombolysis with complete resolution of neurologic deficits before hospital discharge. Conclusion: The reported case is common in daily practice; however, MRI-guided thrombolysis is not generally performed. Knowledge that neuroimaging techniques can be used to determine the therapeutic window for thrombolysis is of fundamental importance since it can benefit a substantial group of selected patients by considerably improving their functional outcomes.

Keywords: Stroke, Thrombolytic therapy, Alteplase


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 0101-6067 (versão impressa

ISSN 1809-3019 (online)

 

 

Licença Creative Commons
O Periódico "Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo", está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.