Fatores de risco para perda no seguimento ambulatorial após passagem de cateter Duplo-J / Risk factors for loss in outpatient follow-up after passing a Double-J catheter

Luiz Felipe de Mello Pereira Leitão, João Pedro Vaz de Souza Cabral Simões, Victor Notari de Campos, Luis Gustavo Morato de Toledo

Resumo


Introdução: O uso do cateter Duplo-J tornou-se rotina nos serviços de urologia nas últimas décadas, sendo fundamental no manejo de diversas patologias do trato urinário, mas não está livre de complicações. Uma temida evolução é a incrustação do cateter, relacionado diretamente ao tempo de permanência dele no indivíduo. Neste contexto, é de suma importância a identificação dos fatores preditores de risco e prevenção dos casos de cateteres Duplo-J não retirados. Método: Trata-se de um estudo retrospectivo que visa analisar os dados demográficos dos pacientes submetidos à passagem de cateter Duplo-J no Departamento de Urologia da Santa Casa de São Paulo, com a finalidade de procurar dados preditores para a ocorrência de Duplo-J não retirados, assim como analisar falhas nos procedimentos de reconvocação dos pacientes. Foram analisados um total de 178 pacientes e divididos em Grupo Retirado - 167 e Grupo Não retirado – 11. Resultado: Foram comparados dois grupos conforme as variáveis de sexo, idade, estado civil, procedência e indicação. Foi evidenciada relação estatisticamente significante conforme a procedência dos pacientes, sendo que aqueles oriundos da região central de São Paulo, moradores de outros municípios e pacientes sem moradia evidenciaram fator de risco para a perda de seguimento ambulatorial. Conclusão: O Duplo-J não retirado é uma complicação multifatorial, o que demanda uma atenção e registro sistemático dos casos, para possibilitar uma busca ativa dos pacientes em situação de risco.

Palavras Chave: Cateter duplo-J, Stent ureteral, Cateter duplo-j não retirado

ABSTRACT

Introduction: The use of the Double-J catheter has become routine in urology services in recent decades, being fundamental in the management of several pathologies of the urinary tract, but it is not free of complications. A feared evolution is the inlay of the catheter, directly related to its length of stay in the individual. In this context, it is of utmost importance to identify risk predictors and prevent cases of non-removed Double-J catheters. Method: This is a retrospective study that aims to analyze the demographic data of patients undergoing the passage of a Double-J catheter at the Urology Department of Santa Casa de São Paulo, in order to search for predictive data for the occurrence of Double-J not withdrawn, as well as to analyze failures in the procedures of patient recall. A total of 178 patients were analyzed and divided into Retired Group - 167 and Non- -Retired Group - 11. Result: Two groups were compared according to the variables of sex, age, marital status, origin and indication. A statistically significant relationship was evidenced according to the origin of the patients, and those from the central region of São Paulo, residents of other municipalities and homeless patients showed a risk factor for the loss of outpatient follow-up. Conclusion: The double-J not removed is a multifactorial complication, which requires attention and systematic registration of cases, in order to enable an active search for patients at risk.

Keywords: Double-J catheter, Ureteral stent, Double-j catheter not removed


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26432/1809-3019.2020.65.029

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 0101-6067 (versão impressa

ISSN 1809-3019 (online)

 

 

Licença Creative Commons
O Periódico "Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo", está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.