Perfil epidemiológico, clí­nico e desfecho de pacientes com traumatismo cranioencefálico / Epidemiological, clinical profile and outcome of patients with traumatic brain injury

Autores

  • Jeniffer Araújo Valentim da Silva Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Curso de Graduação em Enfermagem. São Paulo – SP
  • Marcele Pescuma Capeletti Padula Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Curso de Graduação em Enfermagem. São Paulo – SP -
  • Camila Waters Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Curso de Graduação em Enfermagem. São Paulo – SP

DOI:

https://doi.org/10.26432/1809-3019.2021.66.017

Resumo

Objetivo: Identificar o perfil epidemiológico, clí­nico e o desfecho dos pacientes com Traumatismo Cranioencefálico (TCE). Métodos: Pesquisa retrospectiva realizada com pacientes com idade maior ou igual a 18 anos, que estiveram internados na Instituição no ano de 2017, ví­timas de TCE por qualquer etiologia. Resultados: Analisados 268 prontuários, sendo 78,7% do sexo masculino, com uma média de idade de 51 anos e maior incidência na faixa etária dos 31 a 50 anos (38,4%). A maioria (76,1%) chegou ao Pronto Socorro (PS) pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), com uma média da Escala de Coma de Glasgow de 12 pontos, sendo que 78,0% apresentavam TCE leve (13 a 15 pontos), 14,2% apresentavam TCE grave (3 a 8 pontos) e 7,8% apresentavam TCE moderado (9 a 12 pontos). A maioria (57,5%) apresentou o TCE por queda, seguido de 16,0% por atropelamento, 12,0% por agressão, 5,9% por politrauma de mecanismos desconhecidos, 5,6% por acidente de moto, 1,9% por acidente automobilí­stico e 1,1% por ferimento por arma de fogo. A maioria (84,3%) ficou internada no hospital por até 10 dias, com uma média de internação hospitalar de seis dias, 92,9% receberam tratamento clí­nico (conservador) e 85,8% receberam alta hospitalar. Conclusões: Prevaleceram indiví­duos do sexo masculino, com uma média de idade de 51 anos, encaminhados ao PS pelo SAMU, ví­timas de TCE leve, ocasionado por queda, com uma média de internação hospitalar de seis dias, recebendo tratamento clí­nico e com desfecho de alta hospitalar.

Palavras chave: Perfil de saúde, Lesões encefálicas traumáticas, Traumatismo cerebrovascular

ABSTRACT

Objective: To identify the epidemiological, clinical profile and outcome of patients with Traumatic Brain Injury (TBI). Methods: Retrospective research conducted with patients aged 18 years or older, who were admitted to the Institution in 2017, victims of TBI due to any etiology. Results: 268 medical records were analyzed, of wich 78,7% were male, with an average age of 51 years and a higher incidence in the age group from 31 to 50 years (38,4%). The majority (76,1%) arrived at the Emergency Room (ER) through the Mobile Emergency Service (SAMU), with an average of the Glasgow Coma Scale of 12 points, with 78,0% having mild TBI (13 at 15 points), 14,2% had severe TBI (3 to 8 points) and 7,8% had moderate TBI (9 to 12 points). The majority (57,5%) presented TBI due a fall, followed by 16,0% due to being run over, 12,0% due to aggression, 5,9% due to polytrauma of unknown mechanisms, 5,6% due to motorcycle accident, 1,9% due to automobile accident and 1,1% due to firearm injury. The majority (84,3%) stayed in the hospital for up to 10 days, with an average hospital stay of six days, 92,9% received clinical treatment and 85,8% were discharged. Conclusions: Male individuals prevailed, with an average age of 51 years, referred to ER by SAMU, victims of mild TBI, caused by a fall, with an average hospital stay of six days, receiving clinical treatment and with outcome of discharge hospital.

Keywords: Health profile, Traumatic brain injury, Cerebrovascular trauma

Downloads

Publicado

2021-06-04

Como Citar

Silva, J. A. V. da, Padula, M. P. C., & Waters, C. (2021). Perfil epidemiológico, clí­nico e desfecho de pacientes com traumatismo cranioencefálico / Epidemiological, clinical profile and outcome of patients with traumatic brain injury. Arquivos Médicos Dos Hospitais E Da Faculdade De Ciências Médicas Da Santa Casa De São Paulo, 66(1u), 1 of 7. https://doi.org/10.26432/1809-3019.2021.66.017

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL