Prevalência de alteração do frênulo de lí­ngua em cantores com disfonias comportamentais / Prevalence of language frenulum alteration in singers with behavioral dysphonies

Autores

  • Suelen Rocha Silva Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Curso de Graduação em Fonoaudiologia. São Paulo – SP
  • Adriana Rahal Rebouças de Carvalho Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Curso de Graduação em Fonoaudiologia. São Paulo – SP

DOI:

https://doi.org/10.26432/1809-3019.2021.66.018

Resumo

Introdução: A qualidade de uma voz depende da fonte produtora e do filtro. Caracterí­sticas da voz devem estar adequadas como, por exemplo, a ação da fonte com o filtro e a frequência, pois se estiverem alteradas e se essa voz for utilizada de forma inadequada, pode causar várias alterações vocais, que são chamadas de disfonias comportamentais. Essas disfonias ocorrem por conta do mau uso ou abuso vocal. Objetivo: Verificar se há maior prevalência de alterações de frênulo de lí­ngua em cantores com disfonia comportamental atendidos no Ambulatório de Artes Vocais da Santa Casa de São Paulo quando comparados a população. Método: participaram 18 cantores com idades entre 18 e 40 anos e 11 meses, de ambos os sexos que possuí­am diagnóstico de disfonia comportamental e 23 indiví­duos da população geral, da mesma faixa etária sem queixa de disfonia. A presença da disfonia comportamental foi verificada após análise do prontuário do Ambulatório de Artes Vocais da Santa Casa de São Paulo. Os dois grupos foram submetidos a avaliação clí­nica do frênulo de lí­ngua por meio de protocolo descrito por Marchesan (2010). Resultados: a média de idade dos cantores foi de 35,4 anos e da população geral de 26,57 anos. As medidas realizadas com paquí­metro com a boca aberta e com a ponta da lí­ngua na papila palatina geram uma média que auxilia na avaliação do frênulo de lí­ngua. Em nosso estudo, 63,8% dos cantores e 71,1% da população geral apresentaram média superior a 50%, o que é considerado normal. As alterações apresentadas nos dois grupos foram: 5 cantores e 6 indiví­duos da população geral apresentaram alteração nas provas de mobilidade de lí­ngua, 2 cantores e 9 indiví­duos da população geral apresentaram alguma alteração em relação a praxia de lí­ngua e quanto a alteração de frênulo de lí­ngua, 5 cantores e 6 indiví­duos da população geral apresentaram alguma alteração. Conclusão: Não houve diferença significativa entre os dois grupos nos aspectos avaliados. Desta maneira, não podemos concluir que há maior prevalência de alteração de frênulo de lí­ngua no grupo de cantores. Palavras chave: Frênulo da lí­ngua, Disfonia, Voz, Prevalência

ABSTRACT

Introduction: The quality of a voice depends on the producing source and the filter. Voice characteristics must be appropriate, such as the action of the source with the filter and the frequency, because if they are altered and if this voice is used inappropriately, it can cause various vocal alterations, which are called behavioral dysphonias. These dysphonias occur because of vocal misuse or abuse. Objective: to verify if there is a higher prevalence of tongue frenulum alterations in singers with behavioral dysphonia seen at the Vocal Arts Outpatient Clinic of Santa Casa de São Paulo when compared to the general population. Method: 18 singers aged 18-40 years and 11 months, of both sexes who were diagnosed with behavioral dysphonia, after analysis of the medical records of the Vocal Arts Outpatient Clinic of Santa Casa de Sao Paulo and 23 individuals from the general population in the same age group without complaints of dysphonia. Both groups underwent clinical evaluation of the tongue frenulum using the protocol described by Marchesan (2010). Results: the mean age of the singers was 35.4 years and the mean age of the general population was 26.57 years. The measurements taken with a pachymeter with an open mouth and with the tip of the tongue on the palatal papilla generate an average that assists in the assessment of the tongue frenulum. In our study, 63.8% of singers and 71.1% of the general population had an average greater than 50%, which is considered normal. The alterations seen in both groups were: 5 singers and 6 individuals from the general population had altered tongue mobility tests; 2 singers and 9 individuals from the general population had some alteration in relation to tongue praxis, and as for tongue frenulum alterations, 5 singers and 6 individuals from the general population had some alteration. Conclusion: There was no significant difference between the two groups in all the aspects evaluated. Thus, we cannot conclude that there is a higher prevalence of tongue frenulum alteration in the group of singers. Keywords: Lingual frenum, Dysphonia, Voice, Prevalence

Publicado

2021-06-04

Como Citar

Silva, S. R., & Carvalho, A. R. R. de. (2021). Prevalência de alteração do frênulo de lí­ngua em cantores com disfonias comportamentais / Prevalence of language frenulum alteration in singers with behavioral dysphonies. Arquivos Médicos Dos Hospitais E Da Faculdade De Ciências Médicas Da Santa Casa De São Paulo, 66(1u), 1 of 5. https://doi.org/10.26432/1809-3019.2021.66.018

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL